qualquer coisa
  • Sobre a RH
  • Autor
  • Lojinha
  • Contato

O que significa onisciente, onipresente e onipotente?

O prefixo “oni” simboliza o sentido de “o todo”, “todos” e “tudo”. Também conhecido como o “poder pleno”.

Onisciente: é o ser que tem todo conhecimento e a ciência do todo.
Onipresente: é o ser que está presente em todos os lugares e situações.
Onipotente: é o ser que a tudo pode, a tudo faz de forma plena e nada passa sem que haja a sua participação.

Todos aqueles que creem em “deus” atribuem a ele a onisciência, onipresença e onipotência, ou seja, todos, tudo e o todo. Eles dizem que nada acontece neste mundo sem a ciência, presença e potência de deus, assim eles creem.

Curiosamente, este tipo de crença limita o indivíduo em suas percepções. Veja, entre milhões, apenas um exemplo: A pessoa foi diagnosticada com câncer e passou por muitos sofrimentos durante alguns anos da sua vida. Quando ela teve uma breve melhora, uma “limitação” se instalou e ela encheu a boca para dizer: “graças a deus”. O que é óbvio e jamais percebido pelos que se limitam, é que, quando esta pessoa foi informada sobre a sua doença, ela não disse: “desgraças de deus”.

As pessoas adoram dizer que deus é onisciente, onipresente e onipotente. Também adoram dizer que não cai uma folha de uma árvore sem que haja a mão de deus. Mas esquecem de dizer que é uma “desgraça de deus” quando algo “ruim” acontece em suas vidas.

Quem desgraça a sua vida é deus também e isso é INCONTESTÁVEL de acordo com a sua crença nele. Se ele é o todo, o tudo e por todos, não é justo que o “capeta” leve a culpa de tudo. Ou o capeta tem tanto poder quanto deus que, quando você tem um mal ou problema, deus não consegue ser o todo maior que o capeta?

Neste espaço e neste trabalho, eu digo foda-se para deus. Eu digo foda-se para o capeta. Eu digo foda-se para o “oni”. Eu digo foda-se para os tementes. Eu digo foda-se para os ateus (não são diferentes dos crentes e tementes, suas condições são as mesmas).

No meu trabalho eu exponho o seu modus estupiduz operandi de humano invertido que não alcança o óbvio, que não alcança o que sempre esteve na sua cara e jamais enxergou (raros admitem isso).

No meu trabalho eu lhe entrego de bandeja todas as encenações teatrais deste mundo que você é o maior palhaço da história que vive e encena diariamente sem jamais ter desconfiado da sua condição. Não é qualquer pessoa que tem coragem de constatar o seu estado como humano, as suas explícitas limitações e a sua podre realidade.

É preciso muita coragem para enxergar que antes das “graças”, foi incutida pelo oni as “desgraças” na sua vida. Aquele “desgraçado” se diverte com você e toda a humanidade.

Poucos percebem que não estão vivos e que na verdade estão mortos no que você acha viver uma vida. Você, é o invertido que pensa que está vivendo uma vida, sem desconfiar que está aprisionado como morto/vivo.

Este é o real estado da humanidade, ou melhor, o seu estado.

Exemplos nas minhas publicações e vídeos não faltam. Cada um pode, se quiser e tiver muita coragem, constatar sozinho ao invés de acreditar em mim.

Lembre-se que deus é oni. Sim, o cretino que inventou este personagem e colocou a humanidade neste estado como temos milhões de exemplos cotidianos. O personagem chamado “capeta, diabo ou demônio”, também foi criado e é encenado pelo mesmo crápula que criou e finge que é deus.

Haja coragem de enxergar os bastidores da humanidade e da sua vida. Poucos têm, pois manter-se estúpido dá menos trabalho e é mais confortável.

Quem tem coragem de dizer “desgraças de deus” quando algo “ruim” acontecer na sua vida?

Compartilhar
error:
×