• Sobre a RH
  • Autor
  • Lojinha
  • Contato

Há, sem dúvida, milhares de publicações em todas as páginas que criei e desenvolvo conteúdos que relatam de maneira incontestável, a situação de cada humano. Não há quem possa se excluir da sua triste realidade com toda “inteligência” e “espiritualidade”, sem exceção, e que jamais se extraiu do comportamento de manada, de aprisionado e pseudodesperto, pois quem pensa que despertou, apenas olhou para a sua triste realidade. Nada além disso.

Os humanos, formatados por todas as culturas, intelectos e espiritualidades, entendem que algo exterior a eles, um dia virá salvá-los, ou de alguma forma, ajudá-los. Estas mesmas formatações, levou-os a se iludirem que são dotados de infinita inteligência e divindade, por uma busca espiritual e de devoção exterior a ele.

Todos querem mudanças, todos querem melhoras, todos querem liberdade… e todos NÃO querem mudar. Na verdade eles querem que tudo e todos mudem segundo as suas conveniências, menos ele quer mudar.

Esta introdução preparou você para uma constatação que é bem quentinha e cheira muito mau: a sua vida como humano.

Nas milhares de publicações que me referi há pouco, há exemplos indiscutíveis e incontestáveis que você é invertido, ou seja, o seu modus operandi é o de manada, de humano enterrado de cabeça para baixo que, quanto mais busca, quanto mais inteligente se acha, quanto mais espiritualizado, mais você se enterra.

Agora, observe-se nesta leitura, você a faz sem que alguém possa te julgar e, no seu íntimo, pelo menos desta vez, reconheça a sua triste realidade como humano invertido.

O que você vai ganhar em resistir ao óbvio? Este é um processo íntimo e você não pode ser hipócrita consigo mesmo. Olhe para o seu estado, olhe para a sua vida, reconheça que você nada sabe sobre quem você realmente é, de onde você veio, a que você veio e para onde você vai depois do término do prazo de validade deste corpinho produtor de bosta.

Aceita que dói menos, pois esta é uma realidade.

Agora vamos dar uma olhadinha na sua bosta quentinha: você jamais foi livre, nem em pensamentos. Você é fruto do seu meio familiar e social. Você aceitou a formatação que seus monstrinhos (parentes e amigos) lhe impuseram. Hoje, você é um dos frutos desse meio que você veio, continua e ajuda a manter e formatar outros tão aprisionados quanto você.

Eu poderia explicar este último parágrafo com mais detalhes, mas faço questão de deixar assim para filtrar quem realmente alcança o óbvio que exponho.

Observe a sua vida neste mundo. Você não é mais aquele ser que nasceu e chegou puro a este mundo aprisionado. Ao longo da sua vida, você foi moldado e cobrado para ser alguém, ser uma profissão, ter uma religião ou forma de espiritualidade, e ser como todos os outros monstrinhos fazem questão de ser. A cobrança começa desde muito cedo e você vive para atender às expectativas alheias. Você, até os seus 20 anos, você passa mais tempo atendendo às exigências dos seus monstrinhos cobradores (familiares), do que vivendo os 20 anos de vida neste mundo de maneira livre fazendo o que bem entender.

Depois, vem a cobrança para você ser um personagem de profissão, ou seja, você não é mais aquele nome que nasceu, você torna-se o doutor, engenheiro, professor, administrador ou qualquer título aceito pelos monstrinhos que te controlam. Não satisfeitos, eles te cobram um relacionamento para formar uma família. E cobram mesmo.

Então, você chega aos 40 anos e olha para as suas “responsabilidades” como um fardo muito pesado, que te prendem, que te sugam, que te exploram, que te aprisionam e que te tiram o prazer de viver, coisa que você jamais experimentou.

Eu chamo a isto de bosta quentinha, porque hoje, ao me ler, a sua vida de aprisionado, frustrado e infeliz, é o seu único porto seguro. Essa bosta bem quentinha fede, você sente o cheiro insuportável, mas você já se acostumou e não se atreve ao novo. Você não se atreve a sair dessa bosta, pois você é tão limitado e condicionado a ter medo de sair e voar, de sair e experimentar remover toda essa merda incrustada na sua pele e respirar os ares da liberdade, ainda que tarde em idade.

Hoje, ao constatar a merda que você está atolado, que a sua vida é, você pode, se quiser, experimentar, pelo menos experimentar, que a liberdade é possível, que viver é possível, que ser a sua essência pura é possível. Mas que só você pode se dar, só você, sozinho, tem que se limpar e experimentar um modus operandi de liberdade.

Agora, responda para você mesmo: o que te trouxe a esta página de nome “Reversão Humana”? Acasos e coincidências não existem, mas mesmo se fosse, o que te leva a se interessar pelos conteúdos desta página? Responda-se.

Então vamos ao óbvio: os conteúdos revelam o seu modus operandi de humano invertido e te mostram o modus operandi da liberdade.

É isso que te atrai, é isso que toca a sua essência e te faz vibrar, é isso que provoca a sua sede de liberdade.

E agora, José? E agora, Maria? Vocês vão continuar atolados nessa vida de merda quentinha, reféns e aprisionados?

Vocês vão continuar frustrados e cansados de tudo e todos?

Então por que você não se serve deste material?

Por que você não aplica em seu modus operandi?

Não tem custo, você só tem que ter coragem para experimentar, coragem para deixar tudo desconstruir e coragem para apreender.

O seu único custo é você dedicar o seu tempo a você, a ler, a apreender e aplicar em seu modus operandi.

Ou você prefere permanecer na sua merda de vida bem quentinha, bem fedorentinha, mas que você gosta e sente-se confortável?

A escolha é sua, só sua.

Anthonio Magalhães

Compartilhar
error:
×