• Sobre 320
  • ASSINATURAS
  • Contato
  • Temas
  • ASSINATURAS
  • Contato

Uma senha sera enviada para seu e-mail

Um novo acordo revisado da Organização Mundial da Saúde visa dar a Bill Gates e Gavi o poder de governo de pandemia e vigilância de fato sobre todos os 198 estados membros na próxima pandemia.

O vírus extremamente raro da varíola dos macacos está aumentando na Europa, relata Nine for News. Dezenas de casos foram relatados na Espanha e em Portugal, e o número de infecções na Grã-Bretanha aumentou para sete. O primeiro caso também foi relatado nos Estados Unidos e na Suécia.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças expressaram preocupação na terça-feira sobre um surto incomum de Monkeypox no Reino Unido, sugerindo que parece haver alguma transmissão não detectada do vírus e alertando para a possibilidade de o surto se espalhar além das fronteiras do Reino Unido.

A virologista Marion Koopmans “está começando a se preocupar” com os surtos.

“Ocasionalmente vimos casos importados no passado, mas normalmente eles não se espalharam mais”, disse ela. “No entanto, novos casos já foram descobertos em vários países. Isso é muito incomum.”

A vacina Monkeypox está pronta

A Organização Mundial da Saúde (OMS) chama a varíola dos macacos de “uma doença infecciosa emergente”. No entanto, o virologista Marc Van Ranst, que “está preocupado há anos” com o vírus, aponta que a empresa Bavarian Nordic tem uma vacina contra a varíola e a Monkeypox que foi recentemente aprovada pela autoridade farmacêutica americana FDA.

A FDA aprovou a vacina em setembro de 2019, pouco antes do corona. O governo dos EUA comprou 13 milhões dessas vacinas. A publicitária e advogada Sietske Bergsma responde: “A varíola no jornal de manhã, uma vacina à tarde. Ame a ciência!”

Depois, há outra coisa notável. Os ministros da saúde do G7 em breve estarão treinando na Alemanha sobre um surto de vírus “perigoso”. Desta vez o vírus da varíola, o irmão mais velho do Monkeypox. “Mas, felizmente, a FDA já está pronta para nos salvar com uma vacina contra a varíola”, escreve o professor emérito Wouter Keller.

Bill Gates

“De repente, tenho um déjà vu, com o exercício pandêmico Evento 201 em 2019 e imediatamente depois houve o coronavírus. O próximo exercício de pandemia está chegando em breve. O que eles estão fazendo?” pergunta a artista e ex-enfermeira Marga Bult.

No ano passado, em novembro, o bilionário Bill Gates alertou sobre o bioterror e pediu aos líderes mundiais que se preparassem para isso com o que ele chama de “jogos de germes” ou exercícios. Gates disse que os governos devem estar preparados para futuras pandemias e – muito especificamente – ataques terroristas de varíola, investindo bilhões em pesquisa.

Os globalistas tomarão o controle de seus governos

Conforme relatado recentemente na RAIR Foundation USA, um novo acordo revisado da Organização Mundial da Saúde visa dar a Bill Gates e Gavi o poder de governo de pandemia e vigilância de fato sobre todos os 198 estados membros no caso da próxima pandemia.

“Coincidentemente”, o bilionário globalista Bill Gates pediu anteriormente a militarização e a tomada do sistema de saúde em 2015. Em um artigo do New England Journal of Medicine (NEJM), Gates pediu que uma agência militarizada global estivesse acima de todas as nações na luta a pandemias. Ele tinha em mente uma estreita cooperação com a OTAN. Os regulamentos de segurança nacional devem ser contornados e anular as constituições dos estados soberanos. Além disso, o bilionário pediu a criação de sistemas de vigilância e monitoramento. Gates quer que as Nações Unidas, os países do G7, a OTAN e o Banco Mundial trabalhem juntos para implementar sua equipe de resposta ideal.

Em abril de 2015, Gates deu um Ted Talk, que ele chamou de “O próximo surto? Não estamos prontos.” A partir das 5:30, o autonomeado líder explica suas ideias sobre o uso dos militares para pandemias:

 

 

 

Compartilhar
error:
×